Música – Radiohead no Brasil

by

radiohead

Para alegria de uns e descaso de outros o Radiohead confimou duas apresentações no Brasil. O Lúcio Ribeiro (*) vem falando deste show já faz uns 10 anos pelo menos e de uns tempos pra cá, com a coisa virando realidade, não fala de outra coisa. Junto dele acredito que tenha muita gente dando pulinhos de alegria por este país afora. Mas não eu. E confesso até sentir um pouco de culpa por isso pois é sinal de que não fiz o dever de casa.

Mas que conversa mole é essa? Dá o papo aí rapaz! Explico. O Radiohead é uma banda inglesa extremamente competente que lançou belas músicas, cativou milhares de pessoas e depois deu uma sumida. Na verdade, sumiu só pros desatentos porque no fundo continuavam criando e emocionando. 

No Brasil eles voltaram à cena com uma propaganda sobre a síndrome de down que mostrava um menino chamado Carlinhos andando de cavalinho, lembra?

Então, por causa da propaganda que, na época utilizava uma música já velha (Fake Plastic Trees), a banda voltou a ser moda e muita gente boa que não tinha feito o dever de casa, garimpou os primeiros discos e entrou no trem. Eu, deixei passar. 

Me lembro de outra música também excelente chamada High & Dry. Mas comigo parou por aí. 

Os entusiastas destacam Ok Computer (1997) como o álbum do século e eu, uma marmota completa, não conheço sequer uma música. As duas citadas anteriormente são do disco The Bends (1995). Em 2000 lançaram Kid A e foram assim caminhando até chegar no estranho In Rainbows (2007).

Quando do lançamento do In Rainbows (rolou até uma história de que o fan entrava no site da banda e pagava pelo disco o quanto quisesse, podia ser de mil doláres até zero doláres, esse povo sabe gerar publicidade), eu sentia que estava em débito com a banda e resolvi dar uma conferida, mas achei o disco meio esquisito. Tão esquisito que não passei da 3a faixa.., mas não vi nisso um problema, vi uma oportunidade. Isso quer dizer que as músicas não eram de fácil audição, eu teria que sentar, pegar uma bebida e tentar entender o que estava acontecendo para aí sim, julgar o disco como bom ou ruim. Como já foi dito, não fiz a lição de casa.

Agora estamos aí, Radiohead em turnê na América do Sul. Shows na Argentina (onde os ingressos evaporaram), no Chile e no Brasil(**), Rio e São Paulo (não diga! shit!).

Como não sou um dos que estão dando ‘pulinhos de alegria‘ não vou estressar e fico até feliz de não ter que desembolsar 100 pratas com o ingresso  (estudante) mas por outro lado fica a pulguinha atrás da orelha: “será que não estou, conscientemente, perdendo mais um momento histórico? Com certeza sim…

 

 

(*) Lúcio Ribeiro escreve para a Folha de São Paulo e muitas vezes é criticado por ser tão empolgado com o que faz. Não raro viaja na maionese e jura que esta ou aquela banda vão salvar o rock, mas uma navegada no seu blog é sempre uma experiência enriquecedora.

(**) Rio de Janeiro – 20 de março, São Paulo – 22 de março 09.

Anúncios

Tags: , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: