Archive for the ‘Cinema’ Category

Relatos Selvagens

maio 24, 2015

relatosselvagens

O filme é a reunião de seis histórias independentes. São seis contos de aproximadamente 20 minutos cada. O filme, que é argentino, causou um certo frisson entre amantes do cinema e eu tinha muita expectativa com ele. Me parece que estava até concorrendo em alguma categoria do Oscar 2015.

Não decepcionou! Na verdade, quando o último caso acabou pensei como é bom ver um filme inteligente. Sinto que hoje em dia, em tempos de Velozes e Furiosos 7 bater recordes de bilheteria (claro, com a ajudinha da tragédia com o ator que morreu antes da estréia) um bom filme parece estar cada vez mais raro.

É lamentável ver tanta bobagem sendo feita mas o pior é a constatação de que essa realidade só atende a uma demanda existente.

Talvez todos os contos apresentados no Relatos Salvagens tenham um fator em comum, as viradas absurdas. No começo são situações normais como um homem puxando conversa com uma moça bonita no avião, um homem solitário entrando num restaurante vazio de noite, um homem dirigindo na estrada, outro que trabalha com bombas, uma festa de casamento e por aí vai. De repente, a virada.

O filme é classificado como comédia e realmente é engraçadíssimo e dramático ao mesmo tempo.

Um conto em especial chama a atenção pela mórbida coincidência com acontecimentos reais e recentes. Que foi a tragédia com o avião da empresa German Wings quando o co-piloto se trancou no cockpit e derrubou a aeronave intencionalmente.

Mas Relatos Selvagens, ótima pedida!

Anúncios

A Busca, com Wagner Moura

setembro 26, 2013

No final você entende que é uma historia bonitinha, é disso que o filme se trata e não um grande thriller de mistério e aventura como sugere o trailer. Uma pena. Na verdade o filme não convence.

Aviso de spoilers

Porque Wagner Moura sai naquela trilha insana e desvairada, sozinho, ao invés de, no mínimo, comunicar a policia que seu filho esta desaparecido com um cavalo? Porque ai talvez resolveria o filme rápido e sem graça demais, suponho.

E quando Wagner, de-ses-pe-ra-do, pede ao senhor cardíaco para usar o único telefone da vila e este, malignamente, se recusa a emprestar porque tem poucos creditos? Da pra sentir o desespero dos personagens nessa hora? Ele demorou uns 5min pra pensar em ligar a cobrar e mesmo assim pra que, so pra dar um “oi” pra esposa? Não convence.

O desespero mesmo so esbarra no começo do filme, quando os pais esperam o menino pra jantar e ele não aparece, ai você pensa: nóóóó… Mas depois começa a busca e incrivelmente tudo vai dando certo. Fantástico como todo mundo viu o menino e também a sorte de Wagner ao seguir perfeitamente seus passos.

No final, quando você saca qualé a do filme, o esquema do pai ausente que vai conhecendo o filho através dos rastros que ele deixou e blablabla, é que você pensa: realmente, não é um filme ruim, é um filme… bonitinho.

Cinema – Simonal, Ninguém Sabe o Duro que Dei

junho 7, 2010

Por incrível que pareça, em 1970, quando o Brasil foi tri-campeão mundial de futebol, houve quem disesse que a seleção brasileira fazia aquilo porque trabalhava pro governo militar e cumpria, com vitórias, a sua missão de entreter a população enquanto, em segundo plano, o pau quebrava na ditadura.

A seleção cumpriu o seu papel, a Rede Globo e também WilSon Simonal, que era antes de tudo, um grande entertainer, ou seja, entretia as massas.

Enquanto alguns tentavam com mensagens escondidas protestar, Simonal só curtia a vida e o sucesso. Mas veja bem, não fez nada diferente do que as novelas, a Jovem Guarda e o, até hoje Rei, Roberto fizeram.

Então o que aconteceu ao Simona?

O filme é bem convincente ao dizer que ele errou. Talvez por pedir ao DOPS que desse um susto, ou algo parecido, no ex-contador. Mas isso por si só não justifica a maré de azar que se sucedeu, tanto porque a Rede Globo, a Jovem Guarda e tantos mais tiveram o seu perdão, Simonal não.

E o que aconteceu? A meu ver, tiraram o crioulo de Cristo.

Cinema – Jodie Foster

fevereiro 8, 2010

Jodie Foster está trabalhando arduamente para destruir sua reputação e vestígio de prestígio que ainda tem. Pensando rápido lembro de apenas 3 filmes bons em seu currículo e o último deles já está fazendo 13 anos. São eles Mentes Que Brilham, Silêncio dos Inocentes e Contato. De lá pra cá, pensando rápido, só me vem besteiras.

Besteira 1
Quarto de Pânico:
Jodie construiu um quarto à prova de balas em sua casa e agora foi feita de refém dentro deste quarto por bandidos que tentaram assaltar a residência.

Besteira 2
Plano de Vôo:
Jodie embarca num avião com sua filha e em certo momento a menina desaparece dentro do avião. ISSO MESMO! E o pior, ninguém se lembra da menina e todos começam a questionar a sanidade da moça sobre estar viajando acompanhada da filha. No final um suposto policial se revela sequestrador e estava não só escondendo a menina como planejando explodir uma bomba em troca de dinheiro.

A terceira besteira eu vi hoje
A Estranha em Mim:
Jodie passeava num parque com o namorado (Sayid do Lost) quando foram atacados sem motivos por vândalos. Sayid acabou morrendo e Jodie surtou a cabeça, comprou uma arma e saiu pelas ruas caçando problema, sempre que encontrava resolvia na bala. Na verdade os problemas a encontravam (ainda bem que comprou a arma) e acabou sendo chamada de Justiceira. Um policial bonzinho assume o caso e logo no primeiro crime faz esta brilhante dedução “Foram 3 disparos e só um acertou o criminoso, não acredito que quem fez isso fosse ruim de mira, parece algo de alguém que nunca matou antes.” Puta filme ordinário! Fiz questão de assistir até o final só para ver até onde iria o mau gosto do diretor e ele certamente não me decepcionou. Este filme foi a entrada triunfal de Jodie Foster para a minha lista de ‘não gaste mais o seu tempo com este sujeito!’ que já tinha outras figuras como John Travolta e Nicolas Cage. Seja bem vinda.

Cinema – Avatar

fevereiro 7, 2010

Avatar é realmente lindo, maravilhoso, fantástico, hipnótico e alucinante mas a euforia só dura enquanto estivermos falando de cenário, paisagens, efeitos especiais, computação gráfica e, é claro, cinema tridimensional.

A história em si tem um quê de ingenuidade tão forte que me faz pensar que o filme é infantil e devido apenas a avalanche de tecnologia na tela acabamos esquecendo de que no fundo tudo não passa de mais um caso de progresso contra natureza ou melhor dizendo, índios contra metralhadoras. É claro que são superíndios contra supermetralhadoras mas, tirando o fato de que o planeta não é a Terra e os índios são monstros humanóides azuis de 3m de altura, a história é essa.

É como se o cérebro do público já estivesse tão ocupado em processar tanta computação gráfica, cores e efeitos que um enredo elaborado poderia causar convulsões por hiperatividade ou desinteresse geral.

Enfim, o filme é um bom divertimento e exageradamente bem feito, mas, ficção por ficção, continuo com Matrix.

Cinema – Antichrist

janeiro 6, 2010

I think he is the little Damien.

Cinema – Bastardos Inglórios

novembro 16, 2009

bastardos-cartaz-350-div

Violento, sangrento, incorreto, divertido; Tarantino.

Cinema – This Is It

novembro 4, 2009

thisisit

Graças a Deus que eu não li a crítica de Veja sobre o filme antes de ir ao cinema, porque se tivesse feito teria quebrado o velho Thriller que descansa numa prateleira.

De cara o filme já avisa que é para os fãs e assim caminha até o final. Se você tem curiosidade em ver o que seria o retorno de Michael aos palcos e, de quebra, as suspeitas sobre o maior espetáculo audio visual de todos os tempos, então assista. O mega espetáculo POPMart do U2 em 98 fica no chinelo se comparado ao que seria This Is It.

O filme mostra a grandiosidade da produção e do artista que se dedica a todos os detalhes sempre pensando e falando nos fãs. Ele dá instruções ao tecladista, ao baixista, à guitarrista, ao cara das luzes, à banda como um todo, ao diretor e, claro, aos dançarinos. Sem deixar de lado também a produção das vinhetas que seriam apresentadas durante o show, como um remake de Thriller.

Assim, o show que não foi ficou registrado e magistralmente editado neste documentário. Fica óbvio também a boa condição física de Michael para suportar o batente e isso alimenta aquelas idéias conspiratórias e incômodas de que, talvez, o rapaz valesse mais morto que vivo, antes que outro escândalo comprometesse de vez o legado dos Jacksons.

Cinema – Fido – O Mascote

outubro 29, 2009

fido-poster

Quem disse que filme de zumbi é sempre a mesma coisa? Mortos que vagam pela terra em busca de carne viva? Pessoas mordidas que ficam doente e jogam os entes queridos ao terrível dilema de puxar o gatilho ao perceber que você não é mais você? Áreas isoladas versus áreas infectadas? Cidades inteiras infectadas? O planeta inteiro? Ah, esta história já foi contada 200 vezes e apenas uma ou duas foram interessante..

Mas esqueça! Esqueça tudo que já tenha visto sobre filmes de zumbi e conheça Fido. Uma comédia nonsense para adultos que trás, nas entre linhas, boas críticas à sociedade. Os zumbis eram um problema até alguém conseguir domesticá-los e conferir a eles aquelas tarefas irritantes (mas necessárias) dos subempregos. Então temos zumbis garçons, empregados, operários de fábricas e por aí vai. A raça zumbi foi escravizada mas no fundo continuam sendo monstros perigosos, por isso todo desprezo e brutalidade com eles se faz necessário. Eles deveriam estar mortos (ou 100% mortos) mas devem agradecer a Deus por continuar na Terra trabalhando pelo bem do lado bom da sociedade. Hmmm acho que na história já vivemos situações parecidas ou ainda vivemos?

Tudo começou quando eu zapeava pela televisão e me deparei com o seguinte video:

Cinema – Salve Geral

outubro 23, 2009

salve

Eu não posso ver esse tipo de filme que fico querendo mudar o mundo e ultimamente o meu mudar o mundo seria algo do tipo sair metralhando essa corja rua fora.

Mas alto lá! Essa corja não são os favelados e sim a classe média/alta maconheira que alimenta essa porcaria toda. Isso me lembra uma frase do Tropa de Elite:quantos meninos vão ter que morrer na favela para que um playboy possa fumar o seu baseado?