Posts Tagged ‘firefox’

Tecnologia – Ubuntu e Eu [2]

janeiro 12, 2011

DOWNLOAD

O primeiro passo da nossa jornada rumo à liberdade de espírito é justamente conseguir o Ubuntu! E como não poderia deixar de ser, consegui-o-o gratuitamente no site do projeto www.ubuntu.com.

Qual versão baixar? Bem, a última! Claro. Mas foi só depois de baixar que eu vi que existe uma versão do sistema especialmente desenvolvida para Netbooks e que pode ser encontrada aqui.

Antes de começar vamos falar da minha máquina para ilustrar melhor a história. Pretendo instalar o Ubuntu no meu netbook que é um Asus EEEPC 1002HA com processador de 1.6GHz, 160GB de HD, 1GB de memória RAM, wireless, video integrado, bluetooth, webcam e etc.

Infelizmente, na correria eu acabei baixando a versão 10.10 32bit (a última até o momento) para Desktop do Ubuntu. Mas como eu rodo o Windows 7 – 32bit sem problemas, acredito que vai ser fichinha pro Net. Se der certo mesmo pode ser que no futuro troque pela versão Net.

EXPECTATIVA

Agora uma questão filosófica, quais as minhas necessidades computacionais atuais? Na reta final do curso de Engenharia Eletrônica eu precisava de uns softwares bem específicos que eu nem ousei pesquisar se tinha versão para Linux, tipo Matlab, Siemens Step7, Logo, Wizcon, WinHP, compilador Arduíno e etc. Mas agora que o suplício acabou as necessidades ficaram bem mais modestas, mas ainda assim com certo desejo de qualidade.

Hardware

Eu preciso de um sistema operacional que converse bem com o hardware disponível e de preferência, identifique e configure tudo automaticamente. Ou seja, a placa de rede cabeada e wireless, além do bluetooth, speaker, video, microfone, webcam, mouse touchpad, leitor de cartão e portas USB tem que funcionar perfeitamente.

Software

Alguns programas são básicos para a sobrevivência de qualquer pessoa no ano de 2OOZY como um editor de texto, planilha e apresentação. Bem como PDF, imagens, player de música, player de video, editor de video (estilo Windows Movie Maker), Itunes e também os programas feitos para CLOUD COMPUTING (nome chic pra caramba).

Internet

A vida hoje é online e online devemos ficar. E como temos Firefox para Linux, então ‘seus problemas se acabaram-se‘. Mas ainda assim quero ver o suporte e a performance do bicho para rodar Flash (contrariando os desejos da Apple), Java e demais páginas. Bem como aqueles serviços fundamentais como os Instant Messengers MSN, Google Talk, Skype, Facebook, Myspace e outros jovens à vista.

Pergunta: o Ubuntu vai me oferecer tudo isso? E mais, EU saberei saborear estes recursos do Ubuntu? Vamos que vamos.

Programa baixado, é hora de instalar.

BACKUP

Antes de instalar, uma vez que vamos formatar geral, é importante fazer um backup bacana dos seus arquivos atuais. No meu caso, são cerca de 100GB de backup. Como o netbook não tem drive de cd, muito menos de blue-ray, o jeito é fazer o backup via pendrive ou rede. Hmmmmmm, 100GB em pendrive? Não, vamos via rede. E ainda assim foi um parto! 2 dias de conexão wireless inconstante e uma taxa máxima de transferência de 2MB/s. O grande problema é que você não pode simplesmente selecionar tudo e mandar copiar porque de tempos em tempos dá pau e você tem que clicar num ‘Continuar‘ ou simplesmente recomeçar o processo. Para monitorar a transação do netbook para desktop, utilizei o excelente site Logmein que permite controle remoto do computador e é tema de um futuro post, quem sabe.

 

PENDRIVE DE BOOT

Para instalar um sistema operacional novo numa máquina que não tem drive óptico (nem disquetes, diga-se de passagem) é possível fazê-lo através de um drive de CD externo, conectado via USB ou simplesmente através de um pendrive de boot, (‘bootável’, como dizem). Pode ser feito também via LAN, mas vamos de pendrive mesmo.

Peguei o meu pendrive guerreiro de 4GB e formatei em NTFS, seguindo os procedimentos que eu tinha num antigo roteiro que ensinava a fazer justamente um pendrive bootável. Foi então que percebi o problema de não conseguir dar boot na unidade, porque era NTFS. Reformatei rapidamente em FAT32 e deu tudo certo. Mas como fazer?

1) Entre nas configurações da BIOS do seu computador, opções de BOOT e habilite a opção de dar boot a partir de um pendrive (ou flash unit, flash memory…) É claro que o computador tem que ter suporte a isso, mas os mais novos todos tem.

2) Prepare o pendrive bootável do Ubuntu. Como fazer? Nesta página tem os procedimentos rápidos e simples de como criar. Basicamente você precisa instalar o Universal-USB-installer e a partir dele indicar onde está o arquivo ISO (que baixamos do site do Ubuntu) e qual o pendrive a ser transformado. Sem segredo. Feito isso podemos finalmente começar a saga!

E isso será assunto para a parte [3].

Anúncios

Tecnologia – Microsoft + Yahoo! vs Google

julho 31, 2009

Certa vez uma professora me disse “o poder é indestrutível, o pessoal briga, briga, briga, faz oposição, pra que? Para tomar o poder.”

A Microsoft está hoje numa situação favorecida por conta de uma visão de negócio bem sucedida em outras épocas e também por incrível talento comercial. Veja bem, comercial e não técnico. O importante não é saber fazer, mas ser amigo de quem sabe, ou no caso da Microsoft, copiar mesmo.

Já o Google apareceu com serviços miraculosos que saltaram aos olhos de todos e ainda convenceu o mundo de que era possível ter soluções de qualidade e gratuitas. Hoje vemos que o gratuito não é bem fruto de mágica e sim de patrocínio e que o interesse do Google no comportamento dos usuários é sim preocupante.

Tempos atrás, falando em informática, haviam dois pólos principais no mundo, a Microsoft e a Apple. Quase que o bem contra o mau. A Microsoft fornecia soluções copiadas em larga escala a preços acessíveis (quase sempre com produtos porcos e defeituosos) já a Apple não só trazia inovações como lançava tendências, porém, para um público limitado e disposto a investir em tecnologia.

Hoje vemos que a Apple também não é lá flor que se cheire, mesmo mantendo razoável frequência em bons lançamentos (de hardware como Iphone, Ipod, Imac etc) vez por outra alguma tacada comercial deixa os fãs mais histéricos com a pulguinha atrás da orelha. Porque o bluetooth do Iphone é limitado para fone de ouvido e para enviar arquivos para outro dispositivo preciso utilizar o serviço pago de uma operadora? Porque só lançaram, a princípio, o Iphone pela AT&T? Pois é, quem tem o poder dita regras.

O Google, principal frente anti-Microsoft, já começa a mostrar as garrinhas e preocupar os usuários e como se não bastasse, o Yahoo agora cedeu a pressão e entrou para família Gates.

Será que é possível um software realmente gratuito e realmente de qualidade que podemos confiar? O Google ia bem, mas vale lembrar que o Google é uma corporação. Não confie em corporações pois eles tem objetivos financeiros.

Nestas horas nos lembramos do exemplo do Linux e da Mozilla Foundation (Firefox), rede internacional de colaboração mútua visando o bem estar geral. Será que podemos confiar nisso? Até agora sim.

Mas com esta história de fusão na informática, eu só sei de uma coisa…

E agora, quem poderá nos defender?

ch

Tecnologia – Favor pra Lady

março 27, 2009


OBS: Todos os softwares e procedimentos citados neste texto foram adquiridos de forma lícita. Os exemplos que por ventura possam citar algum procedimento tido como ilegal ou imoral, assim aconteceram apenas de forma ilustrativa para melhor compreensão do leitor.

computer-doctor

Tão logo chegamos em Campinas a Lady já veio com aquela conversa: “Tenho um servicinho pra você, meu notebook está com problemas!” – “Oba, diversão!” – Pensei.

Problema

O notebook veio com Linux e ela pediu a um filho de Deus que instalasse o Windows XP (lembrando, de forma lícita, claro!). O cidadão assim o fez, porém, particionou o HD em uma partição principal de 4GB e outra de 140GB.

Missão

Juntar as duas partições. Sem, obviamente, perder nada.

Problema

Para juntar as partições, o melhor seria formatar o notebook e, na instalação do windows, definir o tamanho da nova (ou novas) partição(ôes). Como não estávamos com tempo e nem material para backup e ferramentas para re-instalar os programas que lá já estavam, me lembrei de um utilitário que possibilita fazer a alteração das partições sem formatar, o Norton Ghost. Entrei no Mininova e baixei (lembre-se, é apenas uma simulação de situação para compreensão, na verdade corremos até a loja e compramos o programa).

Problemão!

No final do download me lembrei que o Ghost não serve para isso, ora bolas, e o programa correto era o Partition Magic que foi igualmente adquirido. Perdemos uma 1 hora por este deslize.

Andando pra frente

Consegui alterar o tamanho das partições, a de 4 passou para 120 e a de 140 para 20. Beleza! Poderíamos parar por ai, mas ela queria juntar as duas partições.

Perigo à vista

Utilizei o comando “merge” para fundir as duas e ao clicar no “apply” o programa me avisou “não existe nenhuma partição ativa, deseja continuar?” Dei uma lida, uma procurada, uma fuçada, olha aqui, olha ali, pessoas ao redor perguntando “vai demorar?” e por fim resolvi ignorar o alerta: YES! – cliquei.

Cagada

O computador reiniciou e entrou no esquema de recondicionamento do HD: dedos em figa. Ao final da operação, BUM!, nada. Nada? Nada! Não liga, não desliga, não entra, não sai, nada!

Problema

O HD perdeu a referência de boot, com isso não achava o Windows.

Solução

Formatar. Ai ai ai.

Solução 2

Baixar, por outra máquina, um CD Live do Windows XP, acessar o Partition Magic e tentar definir a tal da partição ativa.

< RADIOHEAD CONCERT BREAK >

< No outro dia, de ressaca, contando minutos para partir >

Mãos à obra

Utilizei meu equipamento e o coleguismo de desconhecidos bondosos da internet para baixar um Live CD do WinXP. O download demorou horas e horas e horas para finalizar, e nisso o tempo pro busu que ia pra SP começou a correr mais rápido que o normal. A missão era simples, terminar de baixar a ISO, gravar o CD, dar o boot no notebook com o Live, entrar no Partition, definir a partição e um abraço! Zé-fini!

Problema

O CD terminou de baixar 12:20, o ônibus era 13:10! Gravei o ISO, dei o boot, tudo indo bem e… e… e… e… PEDIU SENHA!!!! O que??? O live CD pediu senha!! Que ótimo!!! Agora não dá tempo de entrar na net pra procurar a senha. Resultado, troca de notebooks, fique com o meu que fico com o seu, no final de semana que vem, quando estiver em BH, a gente destroca.

< correria pela cidade, correria pela rodoviária, compra passagem, compra chips, compra BOBs, vai ao banheiro, correria pelas escadas, ônibus andando, motorista puto, 13:11, entra no ônibus. – Campinas – Tietê – Congonhas – Confins – BH – casa >

< no mesmo dia mais tarde >

Procurando a senha

Voltei no local de download e o autor dizia que a senha era bond007. Tentei e nada. Tenta maiúsculo, minúsculo, com espaço, bond7, bondzerozerosete,jamesbond, james007, JAMES007, jb07 – nada! Não funciona.

< nos dias seguintes até hoje, sexta >

Solução 3

Procurei outro live CD para baixar e não encontrei. Vi outra alternativa, boot pelo pendrive, WinXP Portable. Baixa e não funciona. Maravilha.

Solução 4

CD Live do Linux. Tentei um Ubuntu Live que tinha. Sabe-se lá porque o notebook não reconheceu o CD. Maravilha. Tentei um Ubuntu normal e nele tinha a opção de apenas carregar o sistema sem instalar, ok. A tela começou a rodar e rodar. Maravilha. Reset nele e vi a opção “Modo de gráfico simples que deve funcionar”, vai você mesmo. Tcha! Funciona, entrou no Ubuntu. Entra aqui, entra ali, discos e… e… e… não reconheceu HD, não reconheceu partição, não reconheceu bulhufas! Maravilha.

Solução 5

Com o tempo passando e o final de semana chegando tive que tentar algo radical, o bom e velho format. Até então a situação estava ligeiramente sobre controle, à partir daqui começamos a correr sérios riscos de dano e perda de informação permanente, vá comigo Deus.

Win XP

Sentei no QG da Eng. Eletrônica na PUC, saquei um CD (original sempre) do Windows XP e sentei o ferro na boneca! Format all! Kill ´em all!! Logo após apagar todos os dados o CD pediu o serial do XP. Putz! Qual era mesmo? Não tinha anotado… f*deu.

Win XP2

Um filho de Deus parecido com o Wolverine e famoso por andar com soluções de TI à tira-colo apareceu e eu o abordei: Tem um serial de XP aí não fera? Ele olhou, pensou e disse: “Estás com sorte, tenho um CD (original) que nem pede serial!” Maravilha! Pegou o bicho e zap, pronto!

Wireless

Windows rodando agora é hora de começar a reconfigurar tudo, inclusive, recuperar os arquivos confidenciais que estavam no aparelho tipo monografia, textos de mestrado, planos de golpe de Estado estas coisas… Só precisamos de uma conexão à internet para resgatar tudo. Vamos utilizar a wireless do QG. Putz! XP não reconheceu a placa de rede sem fio. Conversei com a secretária e com duas Googladas achou o bendito driver. Baixa, grava no pendrive, roda e… e… e… não funciona.

Saga wireless

É, não deu certo. Melhor ir para a minha Central de Processamento de Dados em casa, lá terei as ferramentas necessárias. Cheguei em casa e entrei novamente no site do fabricante, constatei que havíamos baixado o driver errado, maravilha! Cliquei no drive certo, baixei e quando vai instalar: BUM! Arquivo corrompido. No próprio site do fabricante???? Maravilha!

Demais drivers

Através do desktop baixei o driver da placa de rede cabeada e instalei sem problemas, com isso entrei na internet pelo note e fui instalando os demais drivers sem problemas. Constatei então que dos 20 arquivos que baixei o ÚNICO que estava com problema era o wireless. Murphy.

Wireless the end

Peguei o modelo da placa de rede, taquei no Google e rapidamente ele ofereceu uma alternativa, baixei, instalei e funcionou. Maravilha!

Pacote de sobrevivência

Agora estamos com o notebook beleza, Windows, drivers, wireless, cartão de memória, placa de rede, placa de video, placa de som, webcam, tudo!! Vamos aos programas: Firefox, Flash, Java, AVG, Office, AcrobatReader, MSN, Skype, Azureus e Winrar. Maravilha!

Última milha

Finalmente o notebook estava redondo, 90% beleza! Pra fechar o caixão mesmo só faltava, pequeno detalhe, os arquivos pessoais… Ai ai ai, e agora? Lembrei de um programa que o Suzin me passou uma vez, GetDataBack NTFS, vamos tentar. Instala, roda, começa a varrer o HD. 100 milhões de horas de varredura, PARE! Cansei! Vamos ver se já deu pra achar alguma coisa. Achou!! A pasta estava lá linda e perfeita igual eu havia deixado: BACKUP LADY! Restaurar, cliquei. PAM! Só é possível restaurar na versão registrada do programa. Corri até a loja, registrei o produto e recuperei o arquivo. PAM!! Arquivo corrompido. Ai meu Deus, essa trabalheira toda e estava corrompido?? Talvez tenha sido porque eu interrompi o scan.

Últimas emoções

Desliguei o notebook e fui pra aula, cheguei na sala, peguei uma tomada, estalei os dedos e liguei o GetDataBack, Scan Start!

Scan

Scan

Scan

Scan

Scan

Horas

Scan

Horas

Horas

Horas

FIM!

Processa

Processa

Pensa

Pensa

Pensa

FIM!

Procurei os arquivos, ok!

Peguei uma foto, ok!

Clica!

Copy!

Paste!

Open!

e…

e…

e…

FUNCIONOU!!!!

Cliquei na pasta e restaurei tudo, todas as fotos, todos os textos, todas as mp3, tudo! E assim, com muito sufoco, aperto, sorte, azar, aprendizado e paciência finalmente o notebook estava pronto. Realmente Lady, foi mais divertido do que eu imaginava. Obrigado pela estadia 🙂

Tecnologia – Navegadores

fevereiro 4, 2009

b1

Atualmente eu uso três navegadores, tudo na tentativa de acompanhar as novidades e tentar desvincular da dependência da Microsoft. São eles o indeletável(*) Internet Explorer, o Mozilla Firefox e o novo Google Chrome.

Antigamente utilizava o Netscape (bota antigamente nisso). No início de tudo, antes do Internet Explorer, era ele quem comandava e inclusive foi uma sacanagem grotesca da Microsoft aniquilá-lo da forma que foi. Quer dizer, hoje ele ainda está aí e tem usuários fiéis mas eu desisti.

Existem outros navegadores tipo Avant, Safari, Opera mas não simpatizei muito com eles não.

b5

Vamos então aos pops. “O browser é pop, o browser é pop…”

b4

1) O Internet Explorer é o mais lento, mais pesado, todo pré-programado a interagir com sites e aplicativos Microsoft mas infelizmente é o mais popular de todos com isso os desenvolvedores concentram seus esforços nele, ou seja, tem site que só funciona bem no bendito. Mas hoje, graças a Deus, eu consigo passar semanas sem ter o desprazer de abrí-lo (geralmente só o requisito em sites de banco, pagamento ou outras engrenagens complexas, não que os outros sejam menos seguros, mas por causa do problema de compatibilidade citado).

b2

2) O Firefox é o predileto, meu e de boa parte dos aficionados do mundo. É feito em colaboração com programadores do mundo inteiro no esquema de software aberto, ou livre. Cada um que acha um defeito ou melhora alguma coisa olhando o código aberto, manda as sugestões pra Mozilla que logo as disponibiliza para todo mundo em uma nova versão ou atualização. Essa colaboração mundial cria produtos eficientes, inovadores e que visam a melhoria coletiva. Ao contrário de outros como a Microsoft que visam fechar o produto para acabar com a concorrência e garantir sua supremacia. O Firefox também detem a maior quantidade de gambiarras, plugins e aplicativos disponíveis, justamente provenientes da criatividade dos colaboradores. O único problema, mais uma vez, são os sites (cada vez menos) que enconttram alguma incompatibilidade ou travam. Fora isso, é mara!

b3

3) Google Chrome. O Google entrou na briga batendo de frente com os outros dois. É um programa leve, com design legal e boas funcionalidades (como arrancar a aba da janela principal ou utilizar a própria barra de endereços como barra de pesquisa) mas ainda está longe de ameaçar a supremacia dos outros dois. Vários sites abrem com a formatação errada ou com tilts. Por enquanto foi só um susto pros outros dois sacudirem e a longo prazo ele pode mostrar a que realmente veio, por exemplo, se integrando ao YouTube, GoogleMaps, Orkut, Docs e etc. Eu gosto de usá-lo por ser leve e por sentir um cheirinho de fumaça no ar, e fumaça vinda do Google pode saber, tem maravilhosidades vindo por aí.

Mas enquanto a briga não se resolve vamos acompanhando o espetáculo que é ver a Microsoft perdendo espaço.

b6

(*) Vira e mexe a Microsoft utiliza sua supremacia em alguma jogada suja para derrubar a concorrência. Numa delas incluiu mecanismos complexos no Internet Explorer de forma a integrá-lo ao Windows Explorer (para navegar pelas pastas)  e com isso tornou impossível ao usuário excluí-lo. Ou seja, para o usuário leigo, que não quer ter o trabalho de escolher o navegador, este já vinha escolhido e como o IE não podia ser deletado, pra que instalar outro? A estratégia funcionou bem até o dia que a União Européia meteu-lhes um processo bilionário forçando Bill a voltar atrás.

Tecnologia – RC é Roberto Carlos?

dezembro 4, 2008

robertocarlos

Não! É “Release Candidate“. Hoje me deparei com uma notícia no site do IDG Now: “Versão RC1 do novo IE8 será lançada no primeiro trimestre de 2009” e fiquei pensando a respeito destas siglas todas que inventam para ‘facilitar’ a vida de quem acompanha ou simplesmente para forçar uma intimidade.

Parece que todos são viciados em siglas, algumas são óbvias e ajudam (como BH por exemplo hehe) mas outras beiram o ridículo. Certa vez vi num fórum alguém falando: “Você ouviu o HTDATB do U2? Eu prefiro o ATYCLB.” A criatura estava se referindo aos discos ‘How To Dismantle An Atomic Bomb‘ e ‘All That You Can´t Leave Behind‘.

Mas voltando ao Roberto Carlos, digo, Release Candidate, isso parece que é outra coisa que está na moda. Primeiro começaram a surgir as versões ‘Beta‘ dos softwares, agora os RC.

A versão Beta é quando a empresa prepara um aplicativo, meio pelos coco, meio de rascunho e lança aquele produto quase que como um teste, para ver a reação do pessoal e ver o que que precisa mudar aqui e ali. Tudo bem, louvável. E além do mais a net é cheia de aficionados que estão doidos e anciosos para testar estas versões anteriores ao produto final. O problema é que parece que muitas vezes a versão final não chega nunca. Olha o Google por exemplo, o Orkut é Beta até hoje!! O Gmail, Google Docs e Calendar também, sem falar no recém lançado Google Chrome. Ora bolas.

Aí vem o Firefox. Corria tudo bem com sua versão 2.0 que ia sempre ganhando atualizações e virou 2.0.10, 2.0.11, 2.0.13, 2.0.15.. tudo bem. Um belo dia anunciaram: ‘está disponível a versão Beta do Firefox 3!‘ A comunidade vibrou, os afoitos baixaram, instalaram e testaram. Passados uns dias ‘está disponível o Beta 2, Beta 3, Beta 4…‘ Aquilo começou a ficar meio chato, foi então que aconteceu ‘está dispoível o Firefox 3 RC – Release Candidate‘.

firefoxrc

Foi assim então que fui apresentado a este novo termo que vemos nascer. Até então só tinha visto no Firefox mas agora com esta notícia do Internet Explorer 8 parece que é mesmo mais uma sigla e tendência que vieram pra ficar.

Acompanhe via RSS!

outubro 27, 2008

Você conhece a tecnologia RSS? Não?! Bem, não vou explicar tecnicamente do que se trata, mas na prática é o seguinte, você cadastra um endereço como ‘favorito’ e, quando clicar sobre ele vão aparecer as últimas novidades atualizadas. Por exemplo, para ler as notícias de um jornal sem ter que ficar entrando no site, você faz o seguinte, primeiro checa se ele tem suporte a RSS, se tiver basta cadastrar o endereço e pronto, você vai sendo atualizado de forma dinâmica.

E como fazer isto? Para explicar o procedimento vou utilizar o Firefox 3.0 e o próprio blog.

Primeiro passo:

Acesse o endereço: http://feeds.feedburner.com/seraquealguemvailer


Segundo passo:

Clique no botão “Inscrever Agora


Terceiro passo:


Clique em “Adicionar

Quarto passo:

Pronto! Toda vez que o blog for atualizado, o novo texto vai aparecer como um “feed” dentro deste novo favorito dinâmico.

Sensacional, não?

No Internet Explorer o procedimento é o mesmo, entrar no endereço acima, clicar no link do feed e pedir para se inscrever.


É isso aí!