Posts Tagged ‘globo’

TV – Senhora do Destino

abril 22, 2009

senhora

Feriado, 21 de abril, terça-feira. Dia de folga. Dia de reflexão. Quem foi, o que queria e porque morreu Tiradentes? Dia de acompanhar ao vivo pela TV (com comentários mais do que especialíssimos na Rede Minas) a cerimônia de entrega da Medalha da Inconfidência.

Dia de ressaca. Dia de dormir. Dia de ver televisão. Dia de… novela? Sim! Fui gentilmente convidado a assistir um capítulo de Senhora do Destino que está em reprise no Vale a Pena Ver De Novo.

No início refutei a idéia: odeio novela! – gritei. Mas não era uma novela qualquer, era Senhora do Destino. De birra permaneci no quarto com fones de ouvido apenas passeando, vez por outra, os olhos pela TV. Aos poucos, não teve jeito, fui fisgado pelas armações e aventuras do folhetim que foi um dos maiores sucessos de todos os tempos da Globo.

Pouco antes da novela estrear na sua primeira exibição, comecei a me relacionar com minha atual companheira que se revelou uma fervorosa amante deste tipo de show. Tentei alertá-la, dissuadí-la, contaminá-la mas nada diminuiu seu prazer de acompanhar uma novelinha. Foi então que, num golpe irônico do destino, acabei eu tomando gosto pela coisa. 🙂

Revivi meus tempos de menino e redescobri a alegria de acompanhar, com afinco, uma novela(*). Mas isso era apenas a rota final de uma história (seria Celebridade? não lembro…). Assim, quando acabou, resolvi: -a próxima novela vou assistir de cabo a rabo! Para minha sorte, a próxima, era justamente, Senhora do Destino.

Uma novela inteligente, bem bolada e cheia de cartas na manga. A história tinha reviravoltas incríveis e audaciosos. Nada de jogadas de genialidade duvidosa (como Flora boazinha ficar ruim do dia para noite). Não! Os mistérios iam sendo revelados na mesma velocidade que a trama se complicava.

Não tinha disso de arrastar uma situação até os momentos finais, pelo contrário, cada capítulo reservava uma emoção que nos prendia ainda mais. Por vezes eu ficava temeroso: agora que Do Carmo encontrou Nazaré, o sequestro foi revelado e Izabel já sabe que não é filha de quem achava, o que vão fazer para segurar a audiência e a curiosidade do público? Pronto, até o último momento, lá vinham eles com desdobramentos felizes e mais novidades instigantes.

O último capítulo foi o mais emocionante de todos e no final me trouxe sincera tristeza por simplesmente perder uma companhia tão agradável durante tanto tempo, a novela das 8.

Cumprido seu papel, a novela, esta teria então que passar as rédeas para o próximo folhetim da vez. Aquele que iria agora acompanhar os brasileiros, ditar modas, comportamento, levantar polêmicas, gerar publicidade e a dose certa de alienação para confortar uma população. Assim veio a grande: AMÉRICA.

Uma novela idiota do início ao fim, com Murilo Benício fazendo sotaque caipira com dor de barriga. A novela foi tão mal no início (aquém das expectativas) que tiveram que mudar radicalmente a trama, atuações e até a abertura! Saiu assim Milton Nascimento e entrou Ivete Sangalo.

PUM! Acordei do estado hipnótico que estava e voltei à normalidade. Odeio novela! Mas neste 21 de abril, pelo menos por alguns momentos, voltei no tempo e às graças da Senhora do Destino.


(*) Na verdade, de tempos em tempos tiro uma novela de Cristo para acompanhar e a última até então tinha sido Suave Veneno. Também muito boa, com direito a assistir o último capítulo num buteco em companhia dos saudosos companheiros da ELT-B.

Cinema – Identidade

março 13, 2009

id

Esse eu vi hoje na Globo mas tinha visto no cinema na época. No início parece um filme sacado de pessoas confinadas num lugar qualquer onde, de repente, começam a morrer, um a um.

Quando pensa que não, o filme dá uma guinada menino, e acaba por ser muito mais perturbador do que estávamos preparados. Múltiplas personalidades e realidade alternativa, isso tudo entra, inesperadamente, na trama e o final é daqueles pra você olhar pra pessoa do seu lado e dizer: ‘ei, é você mesmo?’

Cinema – O dia em que a Terra parou

janeiro 10, 2009

Ultimamente tenho tido muito atrito com os críticos de cinema e confesso que sou altamente influenciável. Desta forma tenho feito o seguinte, se acho que vou gostar de um filme (pelo trailer, boato, cartaz ou qualquer coisa) não leio nada a sua respeito e vou pro cinema ser surpreendido. Passada a sessão procuro algumas resenhas para ver se concordo ou não com a moçada.

Não sei porque achei que “O dia em que a Terra parou” fosse um bom filme e, temendo ser contagiado pela visão negativa de críticos mal humorados, não li uma única linha a respeito do longa. Se você compartilha deste meu sentimento interrompa a leitura por aqui e volte mais tarde para compararmos opiniões.

earthstill

Eu até tentei gostar, prestando atenção e relevando deslizes mas ao final não pude classificar o filme nem como legalzinho. É ruim mesmo. Parece um filme infantil, deveria ter idade máxima permitida de 10 anos. Quando meu filho completar 5 anos vou mandar ele assistir e depois debatemos o que achou, mas não este e sim o original.

Pode até ser que em 1951 a idéia de um extra-terrestre vir a Terra “salvá-la dos humanos” fosse uma coisa legal para despertar a consciência da sociedade, mas em pleno 2008 ver uma mulher pedindo por favor para o ET malvado não destruir a raça humana sob a jura de que nós podemos mudar o tratamento dado a natureza, foi demais.., forçado demais.

Em época de aquecimento global irreversível e escassez de água, tudo conflitando com interesses econômicos, é no mínimo doído alguém pensar que uma mulher bonita chorando e implorando iria fazer com que a civilização visitante fosse rever seus planos por remorso ou comoção.

Além de tudo Keanu Reeves está ótimo no papel de extra-terrestre retardado que não sabe conversar, porque é o único papel que ele consegue interpretar. Em Matrix, Constantine, Speed e Dracula o personagem que ele criou foi simplesmente o mesmo, a diferença é que os outros foram salvos por bons roteiros.

keanu

Pra terminar de estragar o filme só faltou o beijo de Keanu (o ET) com a mocinha. Mas o que não faltou, e não podia faltar, era um drama idiota no meio disto tudo, que é a conturbada relação mãe-filho que a protagonista desenvolve com seu enteado.

Hollywood, assim como a Globo em suas novelas, utiliza a mesma fórmula de sempre com cenários diferentes. Pega um acontecimento maior (como uma guerra, uma invasão alienígena, uma catástrofe natural, um acontecimento político) e mescla o desenrolar com algum drama besta, pequeno e insuportável.

Neste filme o filho não aceita a madrasta porque ainda não superou a morte do pai. Então, enquanto escapa do apocalipse, o menino encontra tempo para desobedecer a mamãe por conta de raivinha.

Outro filme recente que desandou pelos mesmos motivos foi Guerra dos Mundos com Tom Cruise onde, no meio da guerra alienígena (também) ele tenta provar ao filhão que é um bom pai.

Isso me encheu os olhos de lágrimas… tamanha raiva de ter ido ao cinema.

guerramundos

BBB não!!

dezembro 28, 2008

bbb_logo

Brasileiro é muito bobo mesmo. Tá certo que os reality shows são fenômeno de audiência no mundo todo, mas temos que copiar deles justamente o que é ruim? Ah pára!

Eu não sou o cara mais politizado e intelectualizado do mundo e confesso que já assisti muita novela na vida (e gostava), também acompanhei uma edição do Big Brother, mas daí a cometer o mesmo erro novamente e novamente e novamente, já é dimais.

A versão do programa que assisti foi aquela da Grazi, do Jean, do médico escrotão e sei lá quem mais. Foi até bacana porque rolou umas conspirações, o time do bem contra o mal, pessoal combinando voto e tal. Confesso que foi emocionante acompanhar alguns paredões que tinha votações históricas (como o índice recorde de rejeição do tal médico). Mas isso foi só um programa, só um Big Brother, e já estamos indo pro nono! Lá vem mais do mesmo.

Ô programinha maldito esse e a Globo utiliza todo seu poder (leia, marketing) para forçar o povo a assistir. Fala-se de Big Brother nos jornais, nas propagandas, novelas, programa de auditório e todo lugar que tiver uma brechinha. Mas até aí, vá lá, porque afinal de contas eles tem que vender seu peixe. O problema é quando você abre uma Folha de São Paulo, uma Veja ou semelhantes e quais notícias estão estampadas? Babados do Big Brother.

Brincadeira. Agora brincadeira mesmo são as notícias ruins sobre o programa que vazaram e nem assim a popularidade caiu (voltamos à primeira frase do post).

À princípio rola aquela palhaçada de pedir o povo pra mandar uma fita de video e tal. Quando aparecem os escolhidos, olha só que maravilha, só tem modelo! Que lindo! O Brasil é perfeito, todos são lindos, simpáticos e inteligente. Quer dizer, inteligente não, isso não foi levado em consideração na escolha. Então alguns começaram a questionar o fato de só ter modelo entre os escolhidos e a produção disse: ninguém quer ver gente feia na TV, querem ver gente bonita.‘ Legal. Eu tenho sérias desconfianças de que quem escolhe os participantes é a Playboy porque quase todas as ‘sisters‘ viram capa da revista. Conveniente não?

bbb_playboy

Um belo dia um dos ‘brothers‘ soltou uma bomba e foi repreendido ao vivo, disse que não mandou fita coisíssima nenhuma. Ele estava numa boate e foi chamado pela produção. Bom né??

Ou seja, a Globo incentiva toodo mundo a mandar suas fitas (para concorrer a uuuuummmmmmmm miiiiiiilhhhhãããoooooo de reais), arma aquele circo todo, recebe bilhões de inscrições e no final o que acontece? Ignora tudo sai na night e escolhe os galãs a dedo. Então gente, vai mandando fita, vai assistindo e vai votando.. mas nem tudo é perdido, as ‘melhores‘ fitas costumam gerar um divertido programa no Multishow chamado ‘Nem Big, Nem Brother‘.  É a única coisa boa desta história onde os verdadeiros brasileiros aparecem e viram chacota.

Enfim, no outro ano mudaram a estratégia: “mande sua fita e você poderá ser escolhido, ou então, um de nossos olheiros pode chamar você“. Ah bom, agora jogaram limpo né.. Coisíssima nenhuma! É tudo enganação, armação, montagem, picaretagem. E aquelas votações?? Alguém acredita naquilo? Eu me desiludi. Não tem como confiar. O que eles falarem sobre resultado vai ser sempre elas por elas, não tem como conferir. Não tem nem como pedir a companhia telefônia para mostrar o extrato das ligações porque o voto pode ser enviado via telefone, SMS, e-mail, pombo correio e etc. Então, conhecendo a Globo como desconfio conhecer, e além do mais depois dessas, acredito que o resultado seja manipulado. Óóóó!!

O treco tá tão escrachado que um dia (faz uns 2 anos) perguntaram ao Boninho (eu acho) sobre a continuidade dos ‘Big Brothers’ e tal, se a fórmula já não tinha cansado e o que ele respondeu? “Vamos fazer no mínimo mais X(*) programas ainda porque ele é simplesmente o programa mais lucrativo da televisão brasileira.

Então prepare-se amigo, para a lavagem cerebral e afronta ao senso de ridículo de um país inteiro porque em janeiro, provavelmente comandado pelo bossal do Pedro Bial, teremos o BBB 9.

(*) Não lembro se ele falou que iria no mínimo até o BBB9 ou 11, tanto faz. Lembrando que falou no MÍNIMO!