Posts Tagged ‘oasis’

Música – Kill ´Em All!!!!!!!!

outubro 28, 2009

festivaldeverao1

Uma cena que eu não esqueço aconteceu no segundo show de rock que eu fui na vida. 1996, Ginásio do Minas, Raimundos, Carne Crua e uma banda de axé. A festa, promovida por uma rádio pop cretina, teve a ultra infeliz ideia de misturar no mesmo palco uma banda de axé com uma banda de rock.

Na época, boom do axé, estava na moda a tal da dança do bumbum e dança da garrafa. Todos os roqueiros do país sentiam ânsia de vômito ao menor sinal destas manifestações “artísticas” e quando percebemos a audácia de alguém ao escalar estes infelizes para abrir o show do Raimundos (na época, turnê do disco Lavô Tá Novo ou seja, época de ouro) pensamos que a banda teria o bom senso de não aparecer, mas apareceram. E foi ótimo! Me deram de presente uma inesquecível lembrança para o resto da vida. Primeiro apareceu o palhaço animador de festa da tal rádio patrocinadora que fez questão de vangloriar o pioneirismo da rádio ao desfazer preconceitos e incentivar a diferença. Axé e rock? Ha! Manda ver! Foi então que entraram no palco os quase 50 músicos da banda de axé acompanhados por duas mulheres peladas (como de costume). Não teve jeito. Com o perdão da expressão, foi o coro de “vai tomar no cú” mais lindo que eu já vi na vida. 5 mil pessoas vestidas de preto e erguendo o braço com raiva naquele gesto singelo. Foi demais! Mas infelizmente não o suficiente para intimidar os axezeiros que continuaram a apresentação até o final. O jeito então foi a plateia sentar no chão e se dispersar pela pista curtindo um péssimo som ambiente de costas para o palco. Ao final da apresentação, o primeiro nuance de guitarra do Carne Crua (que fazia cover de Barão Vermelho) foi o suficiente para causar correria e tocar fogo novamente preparando o clima para o inferno que viria.

Outra cena interessante (essa eu não aprovei muito) mas que merece o destaque histórico foi a chuva de latinha que Carlinhos Brown tomou no Rock In Rio 3 quando fazia seu show . Foi uma falta de respeito com o artista mas por outro lado, tenhamos bom senso. Uma plateia ensandecida aguardando históricos shows de Oasis e Guns N´Roses merecem ouvir  ‘A namorada, tem namorada’?? Latinha nele!!
Por pouco não colocam o doidão alfagamabetizado no dia de Sepultura e Iron Maiden aí eu queria ver, era homicídio culposo.

Pois bem, de volta a 2009, o babado do momento anuncia mais um destes momentos pra lá de histórico. Se tudo for confirmado e der certo, Salvador poderá se transformar no confronto de tribos mais brutal e voraz de todos os tempos, aonde somente um sairá vivo.

Que o Metallica planeja tocar no Brasil em janeiro de 2010 não é novidade nenhuma, mas a sua apresentação no Festival de Verão de Salvador pegou muitos de surpresa, e tem mais, com sérias chances de ser no mesmo dia de Ivete Sangalo. Oh glória! Será??

metxivete

Música – 1/1000

maio 8, 2009

oasismultishow

Cheguei em casa feliz da vida após mais uma jornada de atividades e tão logo entro no escritório para o 4o turno (que termina lá pelas 1, 1:30…) uma dúvida me bate. Eu tinha um compromisso hoje, agora, o que era? …hmmm Oasis!!! Sim, eu vou ao show!! Me teletransportei para o Rio de Janeiro (apenas R$2,30).

Assim que cheguei dou de cara com Noel Gallagher no palco tocando e cantando. Uai, será que Liam deu chilique e decidiu não cantar?? Não, ele estava só curtindo um backstage e jogando a responsa pro irmão.

Você acredita que eles estavam só esperando eu chegar pra tocar Wonderwall? E foi mesmo. Liam assumiu o microfone e tocaram o hit. Depois dela anunciou a última música. Mas já?? Acabei de chegar pô!

I used to be myseeeeeeelf…” tocaram Supersonic, maravilha! e saíram. Deixa eu ver se adivinho é um bis programado? Claaro! E o Multishow tá nessa?! Claaro!

Um minuto depois (nem deu tempo do côro pedindo a volta ser convincente) e lá estavam os Oasis voltando ao palco mas somente Noel e um outro guitarra. Tocaram então Don´t Look Back In Anger, acústica e com Noel, do jeito que deveria ser.

please dont put your life in the hands of a rock and roll band” diz ele, e com o povo berrando o refrão eu penso, difícil viu meu jovem.

Na sequência, já com a banda (quase) toda, ainda com Noel, veio uma tal de Fallin´Down. boazinha…

De repente um jogo de luzes num clima suave e alguns acordes anunciam o que está acontecendo, Champagne Supernova. Momento de transe! Feche os olhos e volte no tempo. Liam retorna e canta com a mão pra trás olhando o microfone de baixo pra cima. Só faltou um pandeiro meia-lua na mão.

No final, com seu jeito turrão, estúpido de ser, quase que Liam consegue estragar a música. Ficou parado no palco igual uma marmota enquanto a banda viajava no solo. Ele encarava a platéia quase como se fosse agredir alguém que estivesse curtindo. Tudo bem, a onda passou.

Anunciaram mais uma vez a última música e veio outra estranha pra mim, I am the walrus. Mas a julgar pelo comportamento da platéia, parece ser bem conhecida(*).

Nos finalmente enquanto a banda novamente solava, Liam, de novo, entrou em transe e começou a fitar alguém nas primeiras filas. Ai meu Deus, vai xingar, brigar, gesticular o que vai fazer? Nada disso, jogaram para ele uma bandeira do Brasil e ele teve a dignidade de pegar, abrir e… colocar na cabeça. Ficou assim uns minutos depois devolveu. A música acabou, bateu palma e foi embora. Atrás dele foram os outros e Noel Gallagher, último a sair, recebeu sozinho os últimos (e merecidos) aplausos.

Agora o show acabou, não tem empurra-empurra, não tem ônibus, táxi, metrô, estacionamento, flanelinha, confusão, avião, viagem, cansaço, ressaca, quebradeira,  nada. É só desligar a antena apagar a luz e fim.

Ver pela TV é legal? É. Mas não chega a 1/1000 da emoção do estar lá.

(*) Segundo Edgar Picoli do Multisow I Am The Walrus é um clássico dos Beatles. Então tá..desculpe a ignorância.

Música – Oasis

maio 4, 2009

Depois de tantas atrações de peso e shows históricos, está chegando a vez do Oasis sacudir o Brasil. Mas depois de REM, Madonna, Scorpions, Alanis, Elton John, Radiohead, KISS, Heaven & Hell, Iron Maiden e outros, alguém ainda precisa de Oasis?

O Oasis não é aquela banda dos irmãos encrenca que vivem combinando confusão para sair no jornal? Não são eles que se dizem fãs e imitam os Beatles? Dão declarações audaciosas, parafraseando John Lennon, dizendo ser mais famosos que os Beatles, quando o próprio John se declarou mais famoso que Jesus Cristo? Não são eles que faz tempo não emplacam um bom álbum?

Pois então, este é o Oasis. Certa vez eu vi alguém dizendo que eles não passam de uma banda de rock. Não que isto seja ruim, afinal de contas, o mundo está carente de bandas de rock, uma vez que bandinhas do momento, barulhentas e sem sentido com vocalista tatuado e metido a rebelde não seja necessariamente uma banda de rock e sim o oportunista da vez. O Oasis é sim uma banda de rock e das boas. Mesmo assim anda, a meu ver, bastante apagado.

O último disco Dig Out Your Soul (2008) não me empolgou em nada. Tá certo que eu não tive o trabalho (ou a paciência) de ouví-lo na íntegra, mas um disco que você tem que trabalhar pra chegar no final e ouvir várias vezes para ir ‘acostumando‘ sinaliza algo errado. Achei cansativo, batido e fraco.

Antes deste, a última música boa do Oasis que flertei foi Stop Crying your Heart Out e antes ainda alguns hits como Stand By Me, Don´t Go Away, All Around The World e Go Let It Out! Sem mencionar a perfeita, do primeiro disco, Live Forever.

E este show agora, e o frisson de algumas pessoas e a maratona de especiais no Multishow, pra que tudo isso? Será que eu iria no show(*) deles? Bem, a atual fase (que eu não tenho acompanhado) não me causa nenhum sentimento porém quando penso em Oasis um único motivo me faz reconsiderar tudo e perdoar mais 10 anos de trabalhos sem brilho que eles possam lançar; é o disco (What´s The Story) Morning Glory? de 1995.

oasis

Se eles tocarem uma única música deste disco já justifica o ingresso, e como não tocar? Os grandes sucessos vieram dali. São eles Wonderwall, Don´t Look Back In Anger e Champagne Supernova. Além de maravilhas como Some Might Say, Cast No Shadow, Roll With It, Hello e Morning Glory.

O disco é todo bom! De cabo a rabo. Indo de momentos alucinantes rock and roll com solos demorados a baladinhas violão e refrão chiclete. Uma obra prima, um conjunto fantástico.

Mas o disco é de 1995 e o último (mais de 10 anos depois) não empolga, se é assim, ainda justifica o barulho em torno do Oasis? hmm.. Morning Glory? Justifica.

(*) Oasis no Brasil em maio, Rio, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre.

21-5

A revolução do MySpace

novembro 26, 2008

myspace1

O site de relacionamento MySpace.com tem revolucionado o cenário musical mundial de forma bem sutil. Estes dias eu li na revista Super Interessante um rapaz dizendo que a pirataria era boa pro capitalismo porque afinal de contas, ela o forçava a se reinventar.

Não adianta as gravadoras e mega empresários ficarem torcendo o nariz contra a música mp3 ou contra os sites de troca de arquivo, eles deveriam sim é repensar na sua forma de distribuição de música. Hoje qualquer mortal pode comprar um CD ‘virgem’ por menos de R$1,00, imprimir uma capinha bacana e gravar ali algumas músicas. Se o mortal tiver uma banda e um trabalho autoral poderia então ao custo de uns R$3,00 vender seus discos. Mas é claro que entram outros gastos na história. Na indústria fonográfica mesmo existe o gasto com pagamento de salários, distribuição do CD pelos lojas, material de divulgação, cachê dos artistas e por aí vai. Mas mesmo assim, nada vai convencer nenhum cristão de que R$30,00, R$40,00 seja um preço justo por um mísero CD. Ainda mais quando você vai comprar um álbum inédito e não sabe se vai gostar de todas as músicas. Na modernidade, pagamos apenas pelo que gostamos e olhe lá.

Na ponta da revolução estão a Apple Store, loja da criadora do Iphone (do Ipod, do IMac, do Macintosh…) que vende downloads autorizados de arquivos MP3 (você paga por música baixada) e o site mySpace.

O MySpace, como todo site de relacionamento, permite a você criar um perfil e associar perfis de amigos ao seu. No seu perfil você pode colocar fotos, videos, textos e músicas. O fato de disponibilizar músicas parece que foi o que mais deu certo. No princípio o artista (na grande maioria desconhecidos) poderiam autorizar ao internauta fazer o download do arquivo, mas hoje parece que não pode mais, paciência. O lance é que cada vez mais grandes artistas estão fazendo o lançamento do seu álbum de inéditas no mySpace.

Funciona assim, você não consegue baixar as músicas, mas escuta o disco na íntegra. Um dos primeiros a fazer isso foi o Radiohead e agora todo mundo faz.

Só este mês tivemos os seguintes lançamentos inéditos no myspace:

www.myspace.com/margarethmenezes

margarethmyspace

www.myspace.com/marcelocamelo

http://br.myspace.com/thefiremanmusic

www.myspace.com/littlejoymusic – nova banda Rodrigo Amarante (ex-Los Hermanos)

camelojoypaulspace

www.myspace.com/gunsnroses

gnschinecespace

www.myspace.com/oasis

oasisspace

www.myspace.com/mallumagalhaes

malluspace

www.myspace.com/britneyspears <- Eco!

britneyspace

Após o lançamento parece que o disco do Guns não está mais disponível na íntegra mas pelo menos eu consegui ouví-lo de ponta-a-ponta no dia 23 de novembro antes do lançamento oficial nas lojas que foi ontem, dia 25.

Outro fato que merece comentário é sobre a Mallu Magalhães. Completando o ciclo de revoluções do mySpace podemos dizer que ela foi a primeira artista fruto da geração mySpace. Tudo começou quando ela, ainda mais jovem, colocou umas músicas próprias no site e o trem virou fenômeno de clicks. Hoje, mais ou menos 1 ano depois, a menina virou celebridade, assinou com uma grande gravadora, assinou com a Vivo, participou do CD solo de Marcelo Camelo e ainda divide com ele a polêmica de pombinhos da vez.