Posts Tagged ‘veja’

Tecnologia – Quem viver verá

agosto 11, 2009

bbi

Atualmente, a rede mundial (internet) congrega 1,5 bilhão de computadores de todos os tipos e tamanhos, telefones celulares e até alguns televisores e geladeiras.

Dentro de dez anos, estarão conectados à rede 7 trilhões de computadores, celulares, geladeiras, mas também aviões, carros, torradeiras, aspiradores de pó, torneiras, interruptores de luz, as próprias lâmpadas – cada objeto com seu IP individual, cada um encaminhando à rede, em tempo real, informações sobre seu funcionamento.

Mais alguns anos, com o barateamento dos chips e a cobertura universal sem fio de cada metro quadrado do planeta, poderão estar conectados à internet cada animal doméstico e seu dono, cada pé de sapato ou tênis.

Em mais um passo rumo ao futuro previsível, estarão na rede não apenas os calçados, mas os músculos cardíacos ou o cérebro das pessoas – cada um fornecendo à rede, em tempo real, informações sobre o consumo de calorias ou eventuais doenças.

FONTE: Revista Veja edição 12/ago/2009

Anúncios

Perdidos no Rio

maio 22, 2009

 

Surfando na net encontrei um texto no blog (blog chic na Veja!) de Tony Beloto falando sobre as artemanhas, malandragens e sacanagens do trânsito carioca. Carioca é malandro né? Veja bem, malandragem é a arte de levar vantagem, geralmente, em cima dos outros então fiquemos alerta.
Resolvi hoje contar a minha breve experiência de dirigir no Rio de Janeiro. Algumas pessoas (não citemos nomes por questões de privacidade alheia) já nos esperavam na cidade foi assim que eu e M.G.M (23 anos?) pegamos a BR-0-esburacada-40 em direção à cidade maravilhosa. 
A primeira coisa que me chamou a atenção, além da grandeza da linha vermelha e do fato daquele lugar ser constantemente vedete de manchete de jornal com bala perdida, foi o cheiro insuportável de uréia que tomou conta do carro. Bela recepção! Mas nossos amigos estavam no Cristo e pra lá nos dirigimos.
Mapinha na mão, Redentor no horizonte e acho melhor perguntar um nativo. Cheguei pro taxista e disse:
-Amigo, Cristo Redentor, como faço?
-Ih ai, faishhx o xeguinte, tá vendo aquela avenida ali atrás? Dá uma ré aqui, pega ela e boa!
-Dar ré aqui?? Você está louco meu rei?? Como dou a volta?
-Todo mundo faishhxx isso aih.. mas se for dar a volta é direita, direita.
-ok!
Anda, anda, anda e perdemos de novo. Neste meio tempo cruzamos um sem fim de “salve-se quem puder”. É carro atravessando ônibus que segue taxista e motoboy pra todo lado. Sinal vermelho e as outras sinalizações eram formalidades secundárias. Tudo bem.
Peguei uma pista marginal (com passagem para apenas UM carro) e encontrei outro cidadão estacionado e querendo dar ré:
-Ô queridão! Cristo tá longe daqui?
-Brother, vou passar lá perto, me segue aí!!
E saiu dando ré.
-De novo?? Ah não assim fica difícil demais. 
Foi então que um carro iluminado parou do meu lado e um casal simpático disse:
-Vocês estão perdidos?
Hmm, de repente a cautela e o pé-atrás mineiro me fizeram pensar. Lembrei dos noticiários, da violência, dos oportunistas, chantagistas, bandidagem, malandragem e sem mais muito pensar disse:
-Sim! Vamos ao Cristo…- com quase lágrimas nos olhos
-Vocês são de onde? 
Ai meu Deus, porque isso agora? Já não raciocinava e no embalo respondi:
-De Minas.
-De Minas?? Ela também é!! Levamos vocês lá, segue aí.
Não sei porque senti que podia confiar nos dois. E assim eu e M.G.M seguimos os simpáticos estranhos até perto do Cristo, não sem antes ficar perdidos mais umas vez, mas no final deu tudo certo.
E a moral da história?
Nenhuma. Só sei que foi assim.

 

crist

Surfando na net encontrei um texto no blog (blog chic na Veja!) de Tony Beloto falando sobre as artemanhas, malandragens e sacanagens do trânsito carioca. Carioca é malandro né? Veja bem, malandragem é a arte de levar vantagem, geralmente, em cima dos outros então fiquemos alerta.

Resolvi hoje contar a minha breve experiência de dirigir no Rio de Janeiro. Algumas pessoas (não citemos nomes por questões de privacidade alheia) já nos esperavam na cidade foi assim que eu e M.G.M (23 anos?) pegamos a BR-0-esburacada-40 em direção à cidade maravilhosa cheia de encantos mil. 

A primeira coisa que me chamou a atenção, além da grandeza da Linha Vermelha e do fato daquele lugar ser constantemente vedete de manchete de jornal com bala perdida, foi o cheiro insuportável de uréia que tomou conta do carro. Bela recepção! Mas nossos amigos estavam no Cristo e pra lá nos dirigimos.

Mapinha na mão, Redentor no horizonte e acho melhor perguntar um nativo. Cheguei pro cidadão e disse:

-Amigo, Cristo Redentor, como faço?

-Ih ai, faishhx o xeguinte, tá vendo aquela avenida ali atráishx? Dá uma ré aqui, pega ela e boa!

-Dar ré aqui?? Você está louco meu rei?? Como dou a volta?

-Todo mundo faishhxx isso aih.. mas se for dar a volta é direita, direita.

-ok!

Anda, anda, anda e perdemos de novo. Neste meio tempo cruzamos um sem fim de “salve-se quem puder“. É carro atravessando ônibus que segue taxista e motoboy pra todo lado. Sinal vermelho e as outras sinalizações eram formalidades meramente secundárias. Tudo bem.

Peguei uma pista marginal (com passagem para apenas UM carro) e encontrei um taxista estacionado e querendo dar ré:

-Ô queridão! Cristo tá longe daqui?

-Brother, vou passar lá perto, me segue aí!!

E saiu dando ré.

-De novo?? Ah não assim fica difícil demais. 

Foi então que um carro iluminado parou do meu lado e um casal simpático disse:

-Vocês estão perdidos?

Hmm, de repente a cautela e o pé-atrás mineiro me fizeram pensar. Lembrei dos noticiários, da violência, dos oportunistas, chantagistas, bandidagem, malandragem e sem mais muito pensar disse:

-Sim! Vamos ao Cristo…– com quase lágrimas nos olhos

-Vocês são de onde? 

Ai meu Deus, porque isso agora? Já não raciocinava e no embalo respondi:

-De Minas.

-De Minas?? Ela também é!! Levamos vocês lá, segue aí.

Não sei porque senti que podia confiar nos dois. E assim eu e M.G.M seguimos os simpáticos estranhos até perto do Cristo, não sem antes ficar perdidos mais umas vez, mas no final deu tudo certo.

E a moral da história? Nenhuma!

Só sei que foi assim…

“Avanço com consciência”

abril 27, 2009

A Veja desta semana trouxe um texto interessante sobre agressividade no trânsito e destacou o fato de, até pessoas tidas como calmas e ponderadas, quando estão dirigindo, se tornarem agressivas e estressadas.

Posso dizer que este é o meu caso. No trânsito, que piora a cada dia o comportamento mais lamentável que transparece nas pessoas é a falta de educação. Egoísmo puro e descaso com o todo, muitas vezes colocando o outro em risco. Tudo para se beneficiar e chegar 1 segundo mais cedo.

Onde tem fila, tem gente furando. Se uma faixa vira e a outra vai reto, o que mais acontece é gente indo reto até o último instante (evitando a fila) e entrando na frente de alguém que por descuido deixou um vácuo.

Sinal vermelho nem se fala. Apesar de furá-lo ser uma prática considerada gravíssima pelo código de trânsito, a maioria o faz sem o menor pudor, e ái do pedestre que atravessar distraído.

Na hora do rush, quando a situação piora categoricamente e somente a colaboração geral poderiam amenizar o problema, o que se vê é um mar de ´salve-se quem puder´ e aí vale tudo.

Pois bem, um ingrediente que apimenta ainda mais este quadro já tão bonito de nossas cidades é a figura do motoqueiro. Apesar de Herbert Viana ter me dado um presente pro resto da vida e me incumbido de, um dia, comprar uma moto, quando encontro com elas no trânsito os sentimentos se misturam. A história só não é pior por um pequeno detalhe reconfortante, na maioria esmagadora das vezes, quem sai perdendo, são eles.

Ainda assim ficamos com raiva. Como pode alguém arriscar tanto por tão pouco? Problema deles.

Foi então que vi, na mesma reportagem da Veja, uma declaração de um motoboy que me chamou a atenção.  “Avanço com consciência”-dizia ele sobre os sinais vermelhos.

Parabéns motoqueiro. Você não só entrega suas mercadorias com mais presteza. Você colabora para tirar os ditos cidadãos ponderados do sério e, de quebra, arrisca sua vida e a de outros. Não é necessário fazer teatro para relaxar porque sua própria atitude já desenha a tragédia de amanhã.

motoboy

Não é de hoje

abril 20, 2009

reinaldoazevedo

TECLA SAP

É uma vergonha!

Fernando Henrique Cardoso alterou uma lei que regula o setor de telefonia no Brasil, e essa mudança, acreditem, beneficiava uma empresa em particular: a Oi. E um dos sócios da Oi é justamente o principal financiador de sua campanha, seu amigo pessoal. Mais: quando essa gigante do setor, de que o BNDES é sócio, se chamava Telemar, injetou R$ 10 milhões numa empresa de um dos filho de FHC.

FHC depois fez outra coisa. Ressuscitou uma licitação que já tem 26 anos, de uma obra parada há 23, para a construção da usina nuclear de Angra 3. Corrigiu os seus valores — de US$ 1,8 bilhão para US$ 3,3 bilhões — e mandou tocar a coisa. A empresa encarregada da encomenda também pertence àquele amigo e financiador da campanha de FHC, o mesmo beneficiado por aquela lei mudada ad hoc, como diriam os juristas.

Uma parte da imprensa não dá bola para o assunto porque, fazer o quê?, converteu-se mesmo à social-democracia e não consegue resistir ao charme do presidente intelectual. Vocês sabem como é: o cara deu aula na Sorbonne, é poliglota, sociólogo… Isso seduz os nossos idiotas. Tivesse ele uma origem mais humilde, vocês veriam: ninguém daria bola.

FHC se beneficia do fato de que boa parte da oposição não quer fazer… oposição. Teme a popularidade do presidente. Fica cá imaginando: fosse Lula a fazer essas coisas que FHC faz, seria mesmo um deus-nos-acuda, né? O PT, fazendo oposição ao tucano, busca ser propositivo. Já o PSDB seria implacável na oposição sistemática.

Diante, agora, dessa história de Angra 3, é bem possível que o PT se cale mais uma vez, deixando o PSDB livre para fazer a lambança que bem entender. Vejam o caso do escândalo dos royalties pagos pela Petrobras: o PT está, mais uma vez, fazendo a política que interessa a FHC e ao Planalto.

Reinaldo Azevedo, colunista Veja

O mal amado

março 31, 2009

mainardi

Sabe quando o professor dá aquela sacaneada com a turma ou, o seu chefe te passa uma tarefa faltando 1 minuto para o fim do expediente e você diz “a mulher dele deve ter dormido de calça jeans” ? Acredito que este seja o mal do qual padece Diogo Mainardi, colunista da Veja e membro da mesa de discussão do Manhattan Connection do GNT.

Tente procurar um único texto em que ele faça qualquer elogio a qualquer pessoa do mundo. Simplesmente não existe. A sua declarada antipatia pelo Presidente Lula (ou por qualquer outro político) é notória, de tal forma, que não mais justifica sequer a leitura porque já sabemos que de lá vão sair apenas críticas, ofensas, piadas e todo tipo de reza torcendo contra o sucesso do assunto em questão.

No Manhattan Connection, muitas vezes os seus colegas de bancada parecem perder a paciência com as posturas radicais e “do contra” de Diogo.

Na Veja, sua coluna é sempre citada como uma das que recebem mais cartas dos leitores, justamente por conta da sua postura radical e polêmica. Sabe quando o mundo estava em flerte com Obama? Diogo falou mal.

Às vezes até acontece de você dar razão para ele (quando por exemplo ele esculacha envolvidos em escândalos políticos) mas basta ir um pouco adiante e encontrar algum assunto que você simpatize que lá estará Diogo e sua língua afiada rogando pragas.

Mas desta vez ele foi longe demais. Há muito tempo não lia seus textos mas este, por falar de música, me chamou a atenção. Música? A pedra de gelo ouve música? Não só ouve como foi no show do Radiohead. Mas o alvo não eram os ingleses e sim os alemães do Kraftwerk.

Por mais que eu desgoste do estilo, acho que seria um pouco grosseiro de minha parte chamá-los de “O fracasso da minha geração”, tal qual fez Diogo Mainardi no texto desta semana. Texto, aliás, que teve o título alterado de “Kraftwek – O fracasso da minha geração” para “Kraftwerk e Mozart”. Será que alguém puxou sua orelha ou foi uma crise de consciência por ter pegado pesado demais?

Kraftwerk e Mozart – Revista Veja

Millôr

fevereiro 12, 2009

millor1

” Ontem, hontem tinha agá e hoje não tem. Hoje, ontem tinha agá e hoje também tem. “

-Revista Veja de 11 de fevereiro de 2009

BBB não!!

dezembro 28, 2008

bbb_logo

Brasileiro é muito bobo mesmo. Tá certo que os reality shows são fenômeno de audiência no mundo todo, mas temos que copiar deles justamente o que é ruim? Ah pára!

Eu não sou o cara mais politizado e intelectualizado do mundo e confesso que já assisti muita novela na vida (e gostava), também acompanhei uma edição do Big Brother, mas daí a cometer o mesmo erro novamente e novamente e novamente, já é dimais.

A versão do programa que assisti foi aquela da Grazi, do Jean, do médico escrotão e sei lá quem mais. Foi até bacana porque rolou umas conspirações, o time do bem contra o mal, pessoal combinando voto e tal. Confesso que foi emocionante acompanhar alguns paredões que tinha votações históricas (como o índice recorde de rejeição do tal médico). Mas isso foi só um programa, só um Big Brother, e já estamos indo pro nono! Lá vem mais do mesmo.

Ô programinha maldito esse e a Globo utiliza todo seu poder (leia, marketing) para forçar o povo a assistir. Fala-se de Big Brother nos jornais, nas propagandas, novelas, programa de auditório e todo lugar que tiver uma brechinha. Mas até aí, vá lá, porque afinal de contas eles tem que vender seu peixe. O problema é quando você abre uma Folha de São Paulo, uma Veja ou semelhantes e quais notícias estão estampadas? Babados do Big Brother.

Brincadeira. Agora brincadeira mesmo são as notícias ruins sobre o programa que vazaram e nem assim a popularidade caiu (voltamos à primeira frase do post).

À princípio rola aquela palhaçada de pedir o povo pra mandar uma fita de video e tal. Quando aparecem os escolhidos, olha só que maravilha, só tem modelo! Que lindo! O Brasil é perfeito, todos são lindos, simpáticos e inteligente. Quer dizer, inteligente não, isso não foi levado em consideração na escolha. Então alguns começaram a questionar o fato de só ter modelo entre os escolhidos e a produção disse: ninguém quer ver gente feia na TV, querem ver gente bonita.‘ Legal. Eu tenho sérias desconfianças de que quem escolhe os participantes é a Playboy porque quase todas as ‘sisters‘ viram capa da revista. Conveniente não?

bbb_playboy

Um belo dia um dos ‘brothers‘ soltou uma bomba e foi repreendido ao vivo, disse que não mandou fita coisíssima nenhuma. Ele estava numa boate e foi chamado pela produção. Bom né??

Ou seja, a Globo incentiva toodo mundo a mandar suas fitas (para concorrer a uuuuummmmmmmm miiiiiiilhhhhãããoooooo de reais), arma aquele circo todo, recebe bilhões de inscrições e no final o que acontece? Ignora tudo sai na night e escolhe os galãs a dedo. Então gente, vai mandando fita, vai assistindo e vai votando.. mas nem tudo é perdido, as ‘melhores‘ fitas costumam gerar um divertido programa no Multishow chamado ‘Nem Big, Nem Brother‘.  É a única coisa boa desta história onde os verdadeiros brasileiros aparecem e viram chacota.

Enfim, no outro ano mudaram a estratégia: “mande sua fita e você poderá ser escolhido, ou então, um de nossos olheiros pode chamar você“. Ah bom, agora jogaram limpo né.. Coisíssima nenhuma! É tudo enganação, armação, montagem, picaretagem. E aquelas votações?? Alguém acredita naquilo? Eu me desiludi. Não tem como confiar. O que eles falarem sobre resultado vai ser sempre elas por elas, não tem como conferir. Não tem nem como pedir a companhia telefônia para mostrar o extrato das ligações porque o voto pode ser enviado via telefone, SMS, e-mail, pombo correio e etc. Então, conhecendo a Globo como desconfio conhecer, e além do mais depois dessas, acredito que o resultado seja manipulado. Óóóó!!

O treco tá tão escrachado que um dia (faz uns 2 anos) perguntaram ao Boninho (eu acho) sobre a continuidade dos ‘Big Brothers’ e tal, se a fórmula já não tinha cansado e o que ele respondeu? “Vamos fazer no mínimo mais X(*) programas ainda porque ele é simplesmente o programa mais lucrativo da televisão brasileira.

Então prepare-se amigo, para a lavagem cerebral e afronta ao senso de ridículo de um país inteiro porque em janeiro, provavelmente comandado pelo bossal do Pedro Bial, teremos o BBB 9.

(*) Não lembro se ele falou que iria no mínimo até o BBB9 ou 11, tanto faz. Lembrando que falou no MÍNIMO!