Posts Tagged ‘3d’

Cinema – Avatar

fevereiro 7, 2010

Avatar é realmente lindo, maravilhoso, fantástico, hipnótico e alucinante mas a euforia só dura enquanto estivermos falando de cenário, paisagens, efeitos especiais, computação gráfica e, é claro, cinema tridimensional.

A história em si tem um quê de ingenuidade tão forte que me faz pensar que o filme é infantil e devido apenas a avalanche de tecnologia na tela acabamos esquecendo de que no fundo tudo não passa de mais um caso de progresso contra natureza ou melhor dizendo, índios contra metralhadoras. É claro que são superíndios contra supermetralhadoras mas, tirando o fato de que o planeta não é a Terra e os índios são monstros humanóides azuis de 3m de altura, a história é essa.

É como se o cérebro do público já estivesse tão ocupado em processar tanta computação gráfica, cores e efeitos que um enredo elaborado poderia causar convulsões por hiperatividade ou desinteresse geral.

Enfim, o filme é um bom divertimento e exageradamente bem feito, mas, ficção por ficção, continuo com Matrix.

Anúncios

Cinema – Era do Gelo 3 2D

julho 17, 2009

iceage

O primeiro Era do Gelo previa uma idade mental da audiência por volta dos 12 anos. O segundo por volta dos 9 e agora, o terceiro, por volta dos 5 ou 6…

Não precisa falar mais nada né, pois bem inimigos da Rede Globo, fui ao cinema assistir aquela coisa maravilhosa. De fato achei que o filme sendo 3D renderia momentos mais interessantes mas, infantil como sou, subestimei a criançada que lotou em poucos segundos a última sessão 3D do dia! Foi vlap, vlap, vlap e pronto, acabou. Sobrou uma sessão 2D e dublada.

Sem problema, abraça o capeta.

O filme até tem alguns momentos que beiram o interessante e umas piadinhas adultas disfarçadas mas, no geral, ele pega pesado demais! São muitas situações bonitinhas, bobinhas, coisinha, que peelamor de Deus! Já sei, não era para esperar nada diferente né, mas foi assim.

A animação é incrível! Os efeitos fantásticos mas a história em si foi muito bobinha pra mim, um velho ranzinza. Já o povo do meu lado adorou!! Desde as criancinhas bonitinhas de 3 anos até as moçoilas de 25 anos nas costas hehehe

E outra coisa é aquele esquilozinho infeliz. Aquele negócio de quaase pegar a frutinha quando acontece um negócio fantástico que acaba deixando seu sonho de consumo a 1 cm inalcançável de distância… isso já encheu o raio da paciência!!! Falei.

Cinema – Dia dos Namorados Macabro (3D)

abril 1, 2009

dianamo3d

Com exceção de uma propaganda enganosa no Hopi Hari, salvo engano, a minha última experiência 3D no cinema foi num filme do Freddy Krueger em mil novecentos e cafundós. Mas foi uma experiência tão podre que, quisera eu não ter que relembrar aquele dia.

Pra começar o filme era de terror, A Hora do Pesadelo, mas, como estávamos na sua 7a ou 8a continuação, os roteiristas já não estavam mais tão inspirados. Pra falar a verdade, com relação a esta série, se fosse apenas do 1 ao 3 já estava bom demais. Assim sendo Freddy Krueger virou muito mais palhaço de circo ou comediante do que um monstro assustador propriamente dito então o terror virou comédia, trash, lixo.

E o efeito 3D? Não foi o filme todo. Apenas a última sequência. Nos 10 minutos finais a personagem do filme coloca os belos óculos (lente azul e vermelha) e isto serve de sinal para que a platéia faça o mesmo. Mas não adiantou, como o resto do filme, os efeitos deixaram a desejar.

Eu tava doido pra conhecer uma fazenda, chamada fazendo Olhos D´Água, mas diz que por lá aparece o tal do Lambisome. tsc tsc tsc, Eu tava doido pra conhecer a nova sala de cinema do BH Shopping que, junto a outras poucas no Brasil, é especialmente desenhada para receber filmes com as novas tecnologias de 3 dimensões. Fiquei então esperando o lançamento certo. Primeiro veio Coraline e num sei quem lá, filme infantil, e achei sensato esperar. Até que veio, Dia dos Namorados Macabro, que estreou, diga-se de passagem, numa sexta-feira 13.

E daí? Bem, o filme é bem parecido com aquele que eternizou a figura de Jason, o assassino frio e sem motivo. Tem até uma hora, no início, quando o monstro em questão já matou uns 10 e fica de costas, um jovem infeliz, sem saber o que está acontecendo, se aproxima da silhueta no fim do túnel e diz: “Jason, é você?

Antes fosse, pois iria salvar este filme, pelo menos, da acusação de falta de originalidade. Ouvi dizer que se trata de uma refilmagem mas não acredito que a original consiga ser melhor, ou menos pior, em qualquer aspecto.

Mas não é que o filme seja ruim, afinal de contas acredito que, após os 200 Hora do Pesadelo e 1500 Sexta-Feira 13, ninguém mais espera um filme de terror deste nível com qualquer grau de novidade. O filme se limita a pegar clichês consagrados, requentar e adaptar aos dias atuais. Com isso, é um festival de cenas dignas de risada e outras que até conseguem prender um pouco a respiração.

Cenas clássicas
1) Pessoas correndo desesperadamente e o monstro seguindo sem pressa, com a certeza assassina única de que não adianta correr, eu pegarei você.
2) Na mesma cena da pessoa correndo, obviamente, ela tropeça e perde a vantagem para o monstro.
3) Mortes violentas, criativas, bizarras, absurdas e que jorram sangue para todos os lados (destaque pro 3D aqui)
4) Grupo de adolescentes, bêbados, namorados enrascados
5) Mulheres lindas, bonitas e maravilhosas
6) Loira pelada que morre de forma cruel (neste ponto o filme superou os outros pois a nudez em questão não se limitou a peitinhos de fora hehe)
7) Com muito sufoco o perseguido consegue chegar ao carro mas infelizmente, por obra de Deus ou de Murphy, este não liga e fica naquela murrinha (pra pegar) até o último segundo. – Esta cena faltou! Não podia ter faltado! Quem sabe no “2”?

Resumindo, como já era de se esperar, não assista o filme pela história, assista pelos efeitos porque estes sim valem a pena. O óculos não é aquela aberração azul e vermelho e sim um elegante modelo rígido de lentes escuras que (infelizmente) deve ser devolvido no final da sessão.

3d

Todo o filme é em 3D. Desde os créditos iniciais (e finais) até o arremesso de pedaços de corpo, jatos de sangue e ameaça com armas. Em alguns pontos o efeito se limita a ampliar a profundidade da cena mas em outros porém o resultado é maravilhoso. Por duas vezes eu me abaixei e levei a mão ao rosto para me proteger de objetos lançados contra a tela e além disso, certa vez, quando o xerife aponta sua espingarda, quase esticamos a mão para tocá-la, ele então dá uma risadinha como quem diz: “curtiu o efeito né?

Experiência legal e vale a pena. Deixaram brecha para continuação. A história não é das piores mas, não fosse o 3D, Jason e Freddy deveriam juntar forças novamente para tomar por bem (ou por mal) um filão que lhes pertence.

Vai deixar?

março 30, 2009

galoraposa

Eu não sou muito fã de futebol, muuito menos de me envolver em discussões exacerbadas sobre o assunto, porém, hoje, navegando pelo Google Earth, algo me chamou a atenção.

Sabe aquela ferramenta fantástica, chamada “3D buildings“, que cria modelos em três dimensões de prédios e monumentos famosos ao redor do mundo? Então, estava eu ‘sobrevoando’ a Pampulha quando me deparei com o modelo do Mineirão. Ao explorar as minúcias do estádio encontrei uma cena que não condiz muito com a realidade.

E aí Máfia Azul, vai deixar? hahaha

minei1minei2minei3