Posts Tagged ‘multishow’

TV – Casa Bonita

setembro 10, 2009

casa bonita

Casa Bonita, reality show do Multishow para escolher a menina mais bonita do Brasil.

QUE MERDA!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Prefiro Sexy Time, direto ao assunto e sem estupidez. Ou, melhor ainda, o saudoso Todo Êxtase.

Por onde andarão Paula Mendes e Roberta Camargos? Detalhe! Eu tenho um autógrafo das duas… ha! Fala comigo! (desculpa amore)

Mas falando em Todo Extase, olha que coisa maravilhosa que eu achei: http://www.todoextase.net/

Esse Casa Bonita é tudo que o Big Brother se propõe e tem vergonha de assumir, audiência barata às custas de exploração de gente bonita e da ignorância do povo. Pelo menos são sinceros.

Anúncios

Música – Meus tempos

agosto 19, 2009

multi1

Estava eu assistindo o Prêmio Multishow de Música 2009 (…) parênteses!!

Que coisa horrorosa esse prêmio, alguém ainda tem paciência pra isso? Nem a MTV deve promover mais seus Video Music Awards e agora temos que aguentar os genéricos. Devia se chamar Prêmio Multishow Músicas Mais Bem Sucedidas Comercialmente 2009 ou, Os Melhores do Jabá 2009. Mas fora isso, a festa é muito chata e sacada. Um apresentador engraçadinho cheio de piadas prontas (Fernanda Torres, e só faltou mostrar uma roupa diferente e extravagante a cada aparição) e convidados especiais para anunciar categorais e vencedores, sempre com piadas e joguetes podres de tão sem graça e que funcionaram apenas na primeira vez que foram exibidos por volta do ano 5 milhões Antes de Cristo.

(…) pois bem, vendo o programa, chegou a tão esperada hora da apresentação musical da banda sensação do momento. Não uma, mas três. Os três maiores sucessos do Brasil no momento, NXZero, Fresno e Strike juntos no palco.

<glup>

Eu tive vergonha do Brasil. Chico Buarque, você está vivo faça alguma coisa!

Aqueles (perdoe a palavra) ESCROTOS todos tatuados e com alargador na cara e jeito de menina. Eu já ia deixando escapar um lamento do tipo “tenho vergonha da minha geração” quando veio o estalo, OPA!! Minha geração não!! Toma que a bomba é sua!!

multi2

Fresno

Não sou mais tão novo assim e acho que, infelizmente, o meu tempo na música passou…

Mas quem foi meu tempo? Quais os artistas da minha geração? Eu poderia dizer que foi a turma dos anos 80, Legião Urbana, Titãs, Barão, Paralamas, Kid Abelha e Ultraje mas não! Na época, criança, eu não curtia nem conhecia nada disso, claro.

Meus tempos começaram por volta de 95, quando então com 15 anos descobria as tentações do rock and roll.

E no meu tempo, quem estava com a bandeira nas mãos era Raimundos, Planet Hemp, Chico Science, Charlie Brown (ô lelê) e Los Hermanos... este último, quase que de saideira da fase de ouro, como quem veio para fechar a tampa do caixão, no pior estilo “o sonho acabou“.

Música – Dia do Rock

julho 16, 2009

rock-guitarra

Eu acredito que o espírito do rock seja indestrutível e imortal, porém, não anda nos seus melhores dias. O rock não morreu, está em coma. Quando o assunto é passado, está vivíssimo! Seja na lembrança e admiração por antigas bandas ou em grandes nomes que continuam na ativa, a exemplo do Iron Maiden que sacudiu o Brasil recentemente e do Metallica que promete uma visita para breve.

Mas quando o assunto é presente, ou futuro, a conversa muda. Não há atualmente uma única banda que possa levantar a bandeira do rock e erguê-la com orgulho dizendo ao mundo ‘estamos aqui para quebrar tudo!‘. Na verdade, pequenas movimentações, ou espasmos, ainda existem, mas analisando a cena como um todo as perspectivas são as piores.

Tenho ouvido bastante o Little Joy (do Amarante) que não deixa de ser uma bela banda de rock, mas caminha muito mais para o lado poético e bonito da coisa, deixando de lado ousadia, atitude e mosh-pit moments.

É, a coisa tá feia. Segunda-feira, dia 13 de julho, o rock comemorou mais um aniversário mas na verdade não havia muito o que festejar, tanto foi que, o dia passou incólume até mesmo para mim e não fosse um Especial do dia do Rock com a Pitty que trombei no Multishow, teria passado batido.

Pitty?! Ainda tem essa, como se não bastasse o momento de ver um movimento social, cultural, politico e musical à beira da decadência, ainda temos que conviver com o oportunismo de outrém que utilizam o glamour de outras épocas para eleger, por conta própria, novos ídolos “rock”. Pitty, Fresno e por aí vai…

Lamentável, mas paciência. Graças a Deus podemos sempre recorrer ao passado intocável e beber de sua energia enquanto o Deus Reencarnado não dá as caras, ou seria um anti-cristo?


Diaaaabo!
O diabo usa capote
É Rock! É Toque! É Forte!
Diaaaabo!
Foi ele mesmo que
Me deu o toque…

Música – 1/1000

maio 8, 2009

oasismultishow

Cheguei em casa feliz da vida após mais uma jornada de atividades e tão logo entro no escritório para o 4o turno (que termina lá pelas 1, 1:30…) uma dúvida me bate. Eu tinha um compromisso hoje, agora, o que era? …hmmm Oasis!!! Sim, eu vou ao show!! Me teletransportei para o Rio de Janeiro (apenas R$2,30).

Assim que cheguei dou de cara com Noel Gallagher no palco tocando e cantando. Uai, será que Liam deu chilique e decidiu não cantar?? Não, ele estava só curtindo um backstage e jogando a responsa pro irmão.

Você acredita que eles estavam só esperando eu chegar pra tocar Wonderwall? E foi mesmo. Liam assumiu o microfone e tocaram o hit. Depois dela anunciou a última música. Mas já?? Acabei de chegar pô!

I used to be myseeeeeeelf…” tocaram Supersonic, maravilha! e saíram. Deixa eu ver se adivinho é um bis programado? Claaro! E o Multishow tá nessa?! Claaro!

Um minuto depois (nem deu tempo do côro pedindo a volta ser convincente) e lá estavam os Oasis voltando ao palco mas somente Noel e um outro guitarra. Tocaram então Don´t Look Back In Anger, acústica e com Noel, do jeito que deveria ser.

please dont put your life in the hands of a rock and roll band” diz ele, e com o povo berrando o refrão eu penso, difícil viu meu jovem.

Na sequência, já com a banda (quase) toda, ainda com Noel, veio uma tal de Fallin´Down. boazinha…

De repente um jogo de luzes num clima suave e alguns acordes anunciam o que está acontecendo, Champagne Supernova. Momento de transe! Feche os olhos e volte no tempo. Liam retorna e canta com a mão pra trás olhando o microfone de baixo pra cima. Só faltou um pandeiro meia-lua na mão.

No final, com seu jeito turrão, estúpido de ser, quase que Liam consegue estragar a música. Ficou parado no palco igual uma marmota enquanto a banda viajava no solo. Ele encarava a platéia quase como se fosse agredir alguém que estivesse curtindo. Tudo bem, a onda passou.

Anunciaram mais uma vez a última música e veio outra estranha pra mim, I am the walrus. Mas a julgar pelo comportamento da platéia, parece ser bem conhecida(*).

Nos finalmente enquanto a banda novamente solava, Liam, de novo, entrou em transe e começou a fitar alguém nas primeiras filas. Ai meu Deus, vai xingar, brigar, gesticular o que vai fazer? Nada disso, jogaram para ele uma bandeira do Brasil e ele teve a dignidade de pegar, abrir e… colocar na cabeça. Ficou assim uns minutos depois devolveu. A música acabou, bateu palma e foi embora. Atrás dele foram os outros e Noel Gallagher, último a sair, recebeu sozinho os últimos (e merecidos) aplausos.

Agora o show acabou, não tem empurra-empurra, não tem ônibus, táxi, metrô, estacionamento, flanelinha, confusão, avião, viagem, cansaço, ressaca, quebradeira,  nada. É só desligar a antena apagar a luz e fim.

Ver pela TV é legal? É. Mas não chega a 1/1000 da emoção do estar lá.

(*) Segundo Edgar Picoli do Multisow I Am The Walrus é um clássico dos Beatles. Então tá..desculpe a ignorância.

BBB não!!

dezembro 28, 2008

bbb_logo

Brasileiro é muito bobo mesmo. Tá certo que os reality shows são fenômeno de audiência no mundo todo, mas temos que copiar deles justamente o que é ruim? Ah pára!

Eu não sou o cara mais politizado e intelectualizado do mundo e confesso que já assisti muita novela na vida (e gostava), também acompanhei uma edição do Big Brother, mas daí a cometer o mesmo erro novamente e novamente e novamente, já é dimais.

A versão do programa que assisti foi aquela da Grazi, do Jean, do médico escrotão e sei lá quem mais. Foi até bacana porque rolou umas conspirações, o time do bem contra o mal, pessoal combinando voto e tal. Confesso que foi emocionante acompanhar alguns paredões que tinha votações históricas (como o índice recorde de rejeição do tal médico). Mas isso foi só um programa, só um Big Brother, e já estamos indo pro nono! Lá vem mais do mesmo.

Ô programinha maldito esse e a Globo utiliza todo seu poder (leia, marketing) para forçar o povo a assistir. Fala-se de Big Brother nos jornais, nas propagandas, novelas, programa de auditório e todo lugar que tiver uma brechinha. Mas até aí, vá lá, porque afinal de contas eles tem que vender seu peixe. O problema é quando você abre uma Folha de São Paulo, uma Veja ou semelhantes e quais notícias estão estampadas? Babados do Big Brother.

Brincadeira. Agora brincadeira mesmo são as notícias ruins sobre o programa que vazaram e nem assim a popularidade caiu (voltamos à primeira frase do post).

À princípio rola aquela palhaçada de pedir o povo pra mandar uma fita de video e tal. Quando aparecem os escolhidos, olha só que maravilha, só tem modelo! Que lindo! O Brasil é perfeito, todos são lindos, simpáticos e inteligente. Quer dizer, inteligente não, isso não foi levado em consideração na escolha. Então alguns começaram a questionar o fato de só ter modelo entre os escolhidos e a produção disse: ninguém quer ver gente feia na TV, querem ver gente bonita.‘ Legal. Eu tenho sérias desconfianças de que quem escolhe os participantes é a Playboy porque quase todas as ‘sisters‘ viram capa da revista. Conveniente não?

bbb_playboy

Um belo dia um dos ‘brothers‘ soltou uma bomba e foi repreendido ao vivo, disse que não mandou fita coisíssima nenhuma. Ele estava numa boate e foi chamado pela produção. Bom né??

Ou seja, a Globo incentiva toodo mundo a mandar suas fitas (para concorrer a uuuuummmmmmmm miiiiiiilhhhhãããoooooo de reais), arma aquele circo todo, recebe bilhões de inscrições e no final o que acontece? Ignora tudo sai na night e escolhe os galãs a dedo. Então gente, vai mandando fita, vai assistindo e vai votando.. mas nem tudo é perdido, as ‘melhores‘ fitas costumam gerar um divertido programa no Multishow chamado ‘Nem Big, Nem Brother‘.  É a única coisa boa desta história onde os verdadeiros brasileiros aparecem e viram chacota.

Enfim, no outro ano mudaram a estratégia: “mande sua fita e você poderá ser escolhido, ou então, um de nossos olheiros pode chamar você“. Ah bom, agora jogaram limpo né.. Coisíssima nenhuma! É tudo enganação, armação, montagem, picaretagem. E aquelas votações?? Alguém acredita naquilo? Eu me desiludi. Não tem como confiar. O que eles falarem sobre resultado vai ser sempre elas por elas, não tem como conferir. Não tem nem como pedir a companhia telefônia para mostrar o extrato das ligações porque o voto pode ser enviado via telefone, SMS, e-mail, pombo correio e etc. Então, conhecendo a Globo como desconfio conhecer, e além do mais depois dessas, acredito que o resultado seja manipulado. Óóóó!!

O treco tá tão escrachado que um dia (faz uns 2 anos) perguntaram ao Boninho (eu acho) sobre a continuidade dos ‘Big Brothers’ e tal, se a fórmula já não tinha cansado e o que ele respondeu? “Vamos fazer no mínimo mais X(*) programas ainda porque ele é simplesmente o programa mais lucrativo da televisão brasileira.

Então prepare-se amigo, para a lavagem cerebral e afronta ao senso de ridículo de um país inteiro porque em janeiro, provavelmente comandado pelo bossal do Pedro Bial, teremos o BBB 9.

(*) Não lembro se ele falou que iria no mínimo até o BBB9 ou 11, tanto faz. Lembrando que falou no MÍNIMO!